Iconografia do vírus

um olhar sobre a necropolítica Bolsonarista nas charges/tiras de Gilmar Machado

Autores

  • Lucas Piter Alves Costa UFMG

DOI:

https://doi.org/10.47677/gluks.v21i01.234

Palavras-chave:

Brasil, Covid-19, Histórias em quadrinhos, Jair Bolsonaro, Necropolítica

Resumo

Resumo: Desde dezembro de 2019, o mundo vem enfrentando a pandemia de Covid-19. Nesse cenário, o Brasil se tornou notório pela falta de políticas públicas de combate ao vírus, um agravamento da crise política e econômica pela qual o país vem passando nos últimos meses. A percepção da crise sanitária brasileira tem gerado diversos discursos nas mais variadas mídias e gêneros, dentre eles, as tiras e as charges. Este trabalho objetiva descrever as representações iconográficas da pandemia de Covid-19 nas charges e tiras de Gilmar Machado, com o intuito de compreender os seus efeitos de sentido. O corpus é formado por 114 peças publicadas em 2020, veiculadas na página do autor no Facebook. A abordagem do corpus se fez com base, principalmente, nos pressupostos da Análise Semiolinguística do Discurso. Os resultados sugerem que a percepção do autor é de que o Governo, na figura de Jair Bolsonaro, é o principal agente agravante da crise sanitária no Brasil.

Referências

ATHAYDE, S. M. M. Mostra sobre iconografia. In: HERNÁNDEZ, M. H. O.; LINS, E. Á. (orgs.). Iconografia: pesquisa e aplicação em estudos de artes visuais, arquitetura e design [online]. Salvador: EDUFBA, 2016, p. 12-17. Disponível em: <https://doi.org/10.7476/9788523218614>. Acesso em: 17 nov. 2020.

CAMPOS, G. W. S. O pesadelo macabro da Covid-19 no Brasil: entre negacionismos e desvarios. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00279>. Acesso em: 14 nov. 2020.

CHARAUDEAU, P. Une analyse sémiolinguistique du discours. Langages, ano 29, n. 117, 1995. Les analyses du discours en France. p. 96-111. Disponível em: <https://www.persee.fr/doc/lgge_0458-726x_1995_num_29_117_1708>. Acesso em: 01 jan. 2021.

COURTINE, J.-J. Corps, discours, images. In: COURTINE, J.-J. Déchiffrer le corps. France: Jérome Millon, 2011, p. 11-42.

FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FURET, F. A oficina da história. Lisboa: Gradiva, 1989.

GROENSTEEN, T. Système de la bande dessinée. Paris: Presses Universitaires de France, 2011.

JOLY, M. Introdução à análise da imagem. 11ª. Ed. Trad. Marina Appenzeller. São Paulo: Papirus Editora, 2007.

KIND, L.; CORDEIRO, R. Narrativas sobre a morte: a Gripe Espanhola e a Covid-19 no Brasil. Psicologia & Sociedade, vol. 32, Belo Horizonte, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1807-0310/2020v32240740>. Acesso em: 14 nov. 2020.

MAINGUENEAU, D. A heterogeneidade mostrada. In: MAINGUENEAU, D. Novas tendências em análise do discurso. Trad. Freda Indursky. Campinas, SP: Pontes, Editora da UNICAMP, 1997, p. 75-110.

MAINGUENEAU, D. Primado do interdiscurso. In: MAINGUENEAU, D. Gênese dos discursos. Tradução Sírio Possenti. Curitiba: Criar, 2005, p. 33-48.

MBEMBE, A. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. Trad. Renata Santini. Arte & Ensaios: revista do PPGAV/EBA/UFRJ, n. 32, dezembro, 2016. Disponível em: <https://www.procomum.org/wp-content/uploads/2019/04/necropolitica.pdf>. Acesso em: 26 set. 2020.

McCLOUD, S. Desvendando os quadrinhos. Trad. Helcio de Carvalho, Marisa do Nascimento Paro. São Paulo: Makron Books, 1995.

PIGNATARI, D. Semiótica e literatura. 6. ed. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2004.

RECUERO, R.; SOARES, F. O discurso desinformativo sobre a cura do COVID-19 no Twitter: estudo de caso. E-Compós, 2020 [No prelo]. Disponível em: <https://doi.org/10.30962/ec.2127>. Acesso em: 01 nov. 2020.

REVEL, J. Michel Foucault: conceitos essenciais. Trad. Maria do Rosário Gregolin, Nilton Milanez, Carlo Piovesani. São Carlos: Claraluz, 2005.

SIMÕES, A. C. A configuração de gêneros multimodais: um estudo sobre a relação gênero-suporte nos gêneros discursivos tira cômica, cartum, charge e caricatura. 2010. 152 f. Dissertação (Mestrado em Letras). Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

VERGUEIRO, W.; RAMOS, P. Os quadrinhos oficialmente na escola: dos PCN ao PNBE. In: VERGUEIRO, W.; RAMOS, P. Quadrinhos na educação. São Paulo: Contexto, 2009, p. 9-42.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Alves Costa, L. P. (2021). Iconografia do vírus: um olhar sobre a necropolítica Bolsonarista nas charges/tiras de Gilmar Machado. Gláuks - Revista De Letras E Artes, 21(01), 230–252. https://doi.org/10.47677/gluks.v21i01.234